Como saber se você está patinando na vida?

Patinar. Essa palavra, cujo sentido literal significa deslocar-se sobre patins, foi estendida e hoje se refere também aquelas situações em que não saímos do lugar.

É normal “patinar”. Não se acanhe. Você provavelmente já deve ter se sentido assim, muitas vezes. Parece que fazemos, fazemos, fazemos, mas não alcançamos resultado e nem nos damos mal.

Terrível a sensação, não? Até o resultado negativo significa algum movimento. Terrível é não ter nenhum resultado. Já pensou nisso?

Hoje queremos dar algumas dicas para você não “patinar” mais. Ou não com tanta frequência, considerando que a vida tem dessas mesmo, e não dá para ser perfeito.

Primeira coisa: vamos fazer o diagnóstico de possível “estado de patinação”. Vamos levar com bom humor porque é um saco, concordamos. Como o homem VITO gosta de manter o foco, até para ter mais qualidade de vida, vamos à luta!

Ah! Já que nesse post vamos falar sobre como identificar os motivos desse problema que é “patinar” em situações, valer esse outro, que fala sobre como ser bem-sucedido nas metas de ano novo, no qual tratamos melhor sobre como dar o próximo passo e focar nas soluções.

1- “Sabe o que é…” Você sempre tem uma desculpa?

Para começar, seja sincero: você já se pegou dando desculpas para tudo? Se você é desses, possivelmente responderá “não, não dou desculpas para tudo”. Porque é mesmo difícil assumir isso.

“Não vendo porque falta produto”. “Não vou porque acabou meu vale transporte” ou “não vou porque gasta muito combustível”. “É impossível focar nisso agora porque estou sobrecarregado”.

Claro que, muitas e muitas vezes, tudo isso é verdade, Estamos suscetíveis ao meio em que vivemos e a todas as suas limitações. E, falando bem a verdade, nas cidades grandes isso de fato acaba com nossa energia para ser proativo ou começar algo novo.

Se você dá desculpas o tempo todo para não executar as coisas, talvez o problema seja você. É, sim, você. Não fuja.

Esse pode ser um sinal de que você está preso em sua zona de conforto e isso é perigosíssimo!

Isso acontece porque o cérebro naturalmente tende a tomar decisões que gastem o mínimo de energia possível, como um mecanismo de maximização dos recursos que você tem.

Você cria pseudoteorias que para você é a verdade absoluta. “Eu de fato não posso vender porque estamos com poucos produtos.” Será mesmo?

Se não dispuséssemos de um potencial de raciocínio enorme, essa condição do cérebro ainda seria útil. Mas não é o caso.

2 – Você nunca tem tempo para nada

Você precisa ir ao médico, renovar sua CNH ou resolver qualquer problema pessoal. Nunca, porém, arruma tempo, uma vez que você trabalha demais.

Faça uma lista das coisas que você sabe que precisa resolver. Agora, pense há quanto tempo você precisa fazer essas tarefas. Passou de dois meses?

Se você não tem tempo para fazer coisas básicas, como cuidar de você mesmo, significa que você provavelmente também não consegue se organizar profissionalmente para executar o que é importante e o que o levará para frente, tendo sua rotina tomada pelo urgente.

Falamos mais sobre o dilema do urgente versus importante no post sobre ser workaholic, que você pode ler depois.

3 – Observe suas amizades

Muitas vezes é difícil colocar um olhar crítico sobre nós mesmos. Sabe aquela história da visão viciada?

Caso você não tenha ouvido falar, a ideia é que quando você olha por muito tempo para uma tarefa ou situação, chega um ponto em que você não percebe erros ou deslizes. Por isso é necessário um olhar de fora para identificar esses problemas. Um dia, aliás, vamos falar sobre terapia como importante ferramenta para resolução de problemas que “achamos” que não temos.

Com a vida é a mesma coisa. Conhece alguém que olha mais sua vida do que você mesmo? Certamente não. Contudo, um jeito de identificar se você está estagnado é observar as pessoas ao seu redor. Já ouviu falar da teoria de que somos a média das cinco pessoas com quem mais convivemos?

Como assim?

Se as cinco pessoas com quem você mais convive estão estagnadas, é um sinal de que você provavelmente também está.

Se você se identificou com alguma dessas três dicas que demos sobre como constatar se você está sofrendo com falta de foco, ou seja, “patinando”, não fique preocupado.

Solução?

Vai aí uma prática e simples: erga a cabeça e encare os problemas. Simples assim.

Saber por onde começar é o primeiro passo. Simplesmente não perca mais tempo. Comece agora mesmo pelo que é possível começar.

E se você quiser começar agora, recomendamos mais uma vez nosso post sobre como ser bem-sucedido nas metas de ano novo. Há dicas muito úteis.

Afinal, você não precisa esperar o dia 31 de dezembro para melhorar, certo? Comece já!

Escrito por

Portal sobre os mais diversos temas referentes ao homem moderno brasileiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s