MELHORES PRÁTICAS EM BARBEARIAS – PT. 3

Cabelo e barba nota 10? Ou cabelo, barba e massagem nota 7?

Temos apresentado, nas últimas semanas, alguns artigos sobre as barbearias que vieram para ficar. O que as diferenciam? É o líder o segredo do sucesso? Produto importa? Mix de serviços é o que “pega” hoje em dia?

Você pode ler os artigos anteriores com calma, sem pressa, não precisa interromper a leitura deste artigo. Principalmente porque hoje vamos falar de algo muito importante: você quer ser o melhor em poucos serviços ou oferecer mais serviços do que seus concorrentes e ter aceitação, digamos, mediana?

No livro Good to Great, Collins faz uma metáfora com o hedgedog (ouriço terrestre) e sua estratégia de defesa contra os predadores. Ela consiste em praticamente uma atitude: o animal se fecha e vira uma bola de espinhos.

Embora pareça previsível – ou até repetitiva – essa estratégia simples de defesa acaba sendo mais eficaz do que outros métodos ora mais sofisticados, usados por outros animais. O paralelo com o mundo dos negócios aqui é o de não tentar fazer cinco coisas razoavelmente bem, mas fazer uma ou duas extremamente bem. Simples assim.

Porque, sim, ser o melhor numa única coisa é mais vantajoso do que ser mediano em várias. Há quem discorde, claro, mas para nós isso é princípio.

Tratando especificamente do mercado de barbearias, certo? Aquele que consegue realizar um único serviço com maestria, sobressaindo-se diante de seus concorrentes, tem mais potencial de obter nota 10 do que aquele que executa três coisas diferentes – pensando que vai por isso atender mais pessoas – e acaba por obter nota 7.

Neste ponto exato está o que vai fazer o seu cliente voltar à sua barbearia. O seu cliente pode abrir mão de você? Seja esse indispensável.

Sim, essa é uma ótima discussão, apesar de parecer ultrapassada. Quem, em sã consciência, vai deixar de oferecer mais e correr o risco de ter poucos clientes? Nós respondemos: justamente o empreendedor que tiver sã consciência.

Ao mesmo tempo em que expandir pode gerar mais faturamento, é preciso levar em conta a capacidade do time e as dificuldades relacionadas a essa nova área de negócios.

Exemplos bons não faltam: será que você consegue administrar um estúdio de tattoo, dentro da sua barbearia, melhor do que alguém focado especificamente nesse negócio? E ter um estúdio de tattoo fideliza o seu cliente mais do que fazer oferecer o serviço “carro-chefe” como nenhum outro é capaz?

Será que o cliente que faz a barba na sua barbearia leva em consideração a facilidade de poder fazer massagem no mesmo local, ou ele prefere fazer massagem, por exemplo, depois da academia? Ele pode fazer massagem enquanto espera a vez de fazer a barba, mas é a barba com você que ele não abre mão, certo?

Outro ponto que parece muito relevante nessa discussão é a capacidade de aprofundar o relacionamento com poucos parceiros versus ter uma relação mais superficial com mais parceiros. Aqui, o exemplo vale tanto para os que servem cerveja ou chopp quanto para os que revendem produtos para barba e/ou cabelo.

É importante falar sobre esse assunto principalmente aos que pensam em expandir o negócio fabricando as próprias cervejas ou os próprios cosméticos, por exemplo. Para explorar esses mercados, é necessário capital de investimento, algo que precisa ser muito bem avaliado ou afetará o negócio principal.

Se você vem pensando nessa expansão, vale a pena mergulhar fundo na pesquisa para entender qual nicho de mercado é forte dentro do seu negócio, nicho que seus concorrentes não têm dado conta – ou sequer perceberam. E mais! Será que ter uma marca própria vai ajudar, considerando que outras barbearias não vão comprar a sua cerveja ou o seu cosmético? É para pensar com calma e analisar o quanto de energia e dinheiro devem ser investidos.

É importante não confundir falta de foco com oportunidades que podem bater à porta como uma proposta de ter um rótulo de cerveja artesanal com o nome da sua barbearia e com pedido mínimo razoável.

A pergunta que você deve fazer a você mesmo é: quero ser nota 10 ou nota 7? Nota 10 em quê? O 7 pode ser tolerável em alguns serviços? Faça uma análise fria e franca.

Escrito por

Portal sobre os mais diversos temas referentes ao homem moderno brasileiro

Um comentário em “MELHORES PRÁTICAS EM BARBEARIAS – PT. 3

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s